Obras no Villa Borghese — Garantia Aterpa

vBorghese Aterpa Termo de GarantiaAqui ao lado se vê o termo de garantia da Aterpa afixado no quadro de avisos junto aos elevadores de serviço nos blocos 1 e 2 do Villa Borghese.  Nele se lê que os prazos de garantia se iniciam com o “termo de Vistoria”,  ou seja o recebimento da obra pelo contratante, que é a Comissão de Obras dos Empreendimentos Villa Borghese e San Filippo, ou contam-se do habite-se (28 de abril de 2008). Partindo da premissa de que a Comissão de Obras não recebeu a obra nem implementou sua liquidação, o mais provável é que a construtora esteja contando o prazo  de garantia pela data do habite-se. Dessa forma, em maio de 2010, estará expirada a cobertura de diversos itens nas áreas comuns da edificação, como o quadro geral de eletricidade que ocasionou falta de energia por superaquecimento.

Recente aviso da administração informa que a Aterpa vem consertar vazamentos provenientes de infiltração em diversos pontos do 1º e  2º subsolo.Villa Borghese 1o sub-solo 07-03-2010

Qual a origem dessas infiltrações ? São provenientes de má-execução da obra ou tem outra causa ? É normal que uma obra apresente infiltrações como essas menos de dois anos após o habite-se ? Uma semana é o bastante para avaliar e reparar tudo ?

A administração gastou 25 mil reais para saber o que estava acontecendo com as instalações elétricas, mas parece não se incomodar com o que está causando as infiltrações.

Se alguém levanta a necessidade de uma vistoria de engenharia, a administração diz que isso faria a construtora parar de consertar os estragos, mas emassar e pintar infiltrações pode não resolver o problema e, sem vistoria, nunca vamos saber…

Enquanto isso, no 3º subsolo, estão ampliando a casa de bombas sobre as vagas de garagem, por iniciativa do síndico, porque a Aterpa não se responsabilizou pela garantia do equipamento, tampouco pela sua instalação, que vem sendo ampliada, como se o antes projetado fosse insuficiente para abrigá-las, dificultando com sua iniciativa emergencial uma futura reclamação sobre o projeto do sistema hidráulico que resta descaracterizado. Sempre nos pareceu que essas bombas eram as mesmas utilizadas durante a construção, cansadas de drenar a água que minava do terceiro subsolo.

Obras na Casa de Bombas no 3º sub-solo 08/03/2010Essa suspeita, de que as bombas são mesmo aquelas utilizadas pela construtora durante as obras, se confirmou na assembléia de 26.02.2010, quando o síndico explicou que …

“… em relação ao problema de abastecimento de água, as bombas que foram instaladas há quatro ou cinco anos, apresentaram muitos problemas, obrigando o Condomínio a realizar uma troca de todas as bombas, instalando equipamentos mais eficazes e com menos custo de energia elétrica e ainda um novo sistema de sucção, cujo sistema não estava suportando.”

Está claro, portanto, que o condomínio está sendo obrigado a gastar por conta da recusa da construtora em assumir suas responsabilidades, seja em relação ao equipamento que deveria ser entregue novo em folha, seja em relação aos erros de projeto, sem o cuidado de armar-se de provas para perseguir indenização dos prejuízos.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.