Atas

Assembléia Geral Extraordinária de 17 de dezembro de 2006

Condominios San Filippo e Villa Borghese ( San Marco e San Michel )
Assembléia Geral Extraordinária de 17 de dezembro de 2006

Ata da Assembléia

Aos dezesete dias do mês de dezembro do ano de 2006, no Auditório do Barra Space Center, situado na Avenida das Américas, nº 1155, Barra da Tijuca, Centro da Barra, Rio de Janeiro, RJ, atendendo ao Edital de Convocação de Assembléia Geral Extraordinária, expedido por via postal a todos os condôminos, em 29 de novembro de 2006 e publicado no Jornal  EXTRA, seção Classificados, folha 8, do dia 29 de novembro de 2006, quarta-feira, reuniram-se os condôminos presentes, às 10:30 h, em segunda e última convocação. De um total de 792 unidades, foram decrescidas 16 unidades oriundas da permuta dos terrenos com a CLAMA, penhoradas com terceiros depositários, foram mantidas para efeito de quorum qualificado, 90 unidades de estoque da ATERPA, oriundas do contrato de incorporação e 117 unidades adquiridas por esta e também representadas pela ATERPA nesta Assembléia, também foram mantidas para efeito de quorum qualificado 167 unidades de condôminos não adimplentes com mais de 3 quotas de condomínio até esta data, resultando no QUORUM de 776 unidades tituladas ao voto. Compareceram a Assembléia titulares ou procuradores de 584 unidades dos empreendimentos Villa Borghese e San Filippo que assinam os livros de presença, destes habilitaram-se ao voto, segundo a convenção de seus respectivos condomínios 579 unidades adimplentes para com suas cotas de condomínio, para deliberarem sobre os seguintes assuntos:

1.   Apresentação pela ATERPA das modernizações propostas para os Edifícios San Marco, San Michel e San Filippo, quanto ao embasamento e térreo;

2.   Deliberação, quanto à proposta da Construtora ATERPA, para execução das obras previstas no item 1;

3.   Ratificação do cronograma de obra de acordo com o contrato de financiamento do BANCO ITAÚ / ATERPA;

4.   Assuntos Gerais.

COMPOSIÇÃO DA MESA. Iniciando os trabalhos assume a presidência da Assembléia o advogado Ricardo da Silva Camillo que tem o condômino Antonio Braga Coscarelli como secretário. O engenheiro Sampaio convidou o engenheiro Wilson Hesketh, da Construtora ATERPA, para participar da mesa. ABERTURA. Este, usando a palavra, desejou a todos um bom dia, um bom domingo, e afirmou ser um prazer estar de novo reunido com os condôminos. Reafirmou que, sempre que for preciso, estará à disposição para esclarecer qualquer dúvida que tenham. EXPEDIENTE. Prosseguiu dizendo: “O motivo desta Assembléia, basicamente, é o mesmo da do ano passado. Vocês sabem que nós recebemos para execução um projeto de há muito defasado. É um projeto que já tem mais de 15 anos e, nesse período de tempo, todos os projetos da Barra da Tijuca sofreram um processo de modernização, de melhoria da qualidade de vida. Hoje, a área de lazer é quase tão importante quanto à área habitacional e o antigo projeto nada tinha a ver com isso. Era uma idéia bem antiga e nós já começamos no ano passado pela modernização de fachada e restava agora fazer a mesma coisa no todo. Em relação ao projeto dos apartamentos, não há muita coisa a fazer mas, em relação ao térreo, precisamos realizar um processo de modernização. Estamos chamando de processo de modernização do térreo e do embasamento o conjunto de obras  que deixam os edifícios rigorosamente em dia com os empreendimentos que existem na Barra da Tijuca. Até mesmo fora da Barra, este conceito já está se ampliando e chegando aos lançamentos da Vila do Pan. Já tivemos lançamentos fora da Barra da Tijuca, em Jacarepaguá, trazendo um conceito de vida que  gostaríamos de colocar no Villa Borghese e no San Filippo. DISCUSSÃO DA PAUTA – ITEM 1 – APRESENTAÇÃO DAS MODERNIZAÇÕES PROPOSTAS. Vamos fazer a apresentação do que já discutimos com a COMISSÃO DE OBRAS quando encaminhamos esse trabalho. Também o orçamento foi passado e representa um acréscimo nos dispêndios que vocês já estavam preparados para receber. Pedirei ao coordenador chefe de obras, o engenheiro Edimir, para apresentar as imagens, não todas, apenas um apanhado do que julgamos mais importante para que vocês tenham uma visão de como era o projeto e de como ficará”. O engenheiro Edimir fez a apresentação através projeções e teceu comentários acerca de cada uma das melhorias propostas. DISCUSSÃO DA PAUTA – ITEM 2 – DELIBERAÇÃO DAS MODERNIZAÇÕES PROPOSTAS. O engenheiro Wilson retomou a palavra e acrescentou que todos esses benefícios foram tratados, apresentando primeiramente o orçamento à COMISSÃO DE OBRAS, que contratou um engenheiro orçamentista para analisar. Prosseguiu dizendo: “conseguimos, após muito trabalho, chegar aos termos aqui apresentados. Eu quero passar para vocês a notícia de que o Villa Borghese, por ter um número maior de unidades, tudo nele é um pouco mais barato do que no San Filippo, cujo condomínio deverá ser um pouco maior do que o do Villa Borghese. Os benefícios e benfeitorias para o Villa Borghese, por unidade, considerando todas as unidades como pagantes, deram um montante de R$ 3.993,21(três mil novecentos e noventa e três reais e vinte um centavos), por unidade. No San Filippo, por serem menos numerosas as unidades e ter projeto diferente, uma vez que foram orçadas de per si, as modificações representaram R$ 5.494,96 (cinco mil quatrocentos e noventa e quatro reais e noventa e seis centavos). São os dois valores que trouxemos para a Assembléia e pedimos a aprovação para que o processo inicie em janeiro de 2007. Nós já contatamos a COMISSÃO DE OBRAS e acertamos que, se aprovado por esta Assembléia, iniciaríamos tanto a cobrança dessas modificações como as da fachada, a partir de janeiro, dividindo o pagamento destas modernizações em onze prestações mensais que é o que falta em numero de meses para concluir a obra. Ficará bem diluído, sendo que cobraremos sobre estes valores apenas a correção pelo INCC ao longo dos onze meses. Tal correção tem se mostrado bem pequena porque, com a inflação baixa, o INCC tem variado pouco e aumenta apenas em março em função do salário mínimo. Estamos abertos para conversar com vocês, individualmente, a partir de segunda-feira, se a proposta for aprovada já que o processo de cobrança será um pouco demorado para implantação. Para esclarecer qualquer dúvida ou para receber propostas, estamos disponíveis a partir de segunda-feira”. Foi perguntado se todas as unidades estariam participando e o engenheiro Wilson esclareceu que o rateio foi feito para todas as 792 unidades, todas pagando. O condômino do San Filippo, 801, disse estar entendendo que toda a parte de mobiliário e equipamentos estaria incluída nesse orçamento, ao que o engenheiro Wilson respondeu lamentar que não: “Apenas nos reportamos à parte conceitual de obra. Temos uma idéia dos preços, referente a mobiliário e equipamentos, mas ainda não os apresentamos formalmente à COMISSÃO DE OBRAS. Mais adiante, quando estivermos com tudo definido, apresentaremos, para fins de rateio, o que já consta nas escrituras”. O condômino do San Marco, 1602, pediu a palavra para, na mesma linha da pergunta anterior, perguntar se, no projeto urbanístico, as plantas etc estavam incluídas. O engenheiro Wilson respondeu que não; o que estava incluído eram as jardineiras, a parte física de construção. As plantas não estão incluídas. O condômino perguntou ainda onde se conseguiria as especificações para saber o que será pago dentro desse valor apresentado. O engenheiro Wilson respondeu que todos os detalhes estarão com a COMISSÃO DE OBRAS, tendo o condômino observado que estariam aprovando agora uma coisa que se verá depois. O engenheiro Wilson disse que passaria a palavra ao Dr. Sampaio para  explicação dos detalhes. O engenheiro Sampaio disse que desejava se reportar, inicialmente, à parte da fachada que foi aprovada juntamente com o orçamento que a ATERPA apresentou à Assembléia de 27 de agosto de 2005. A COMISSÃO DE OBRAS foi autorizada, a, até aquele valor apresentado como teto, aprovar o orçamento. Explicou, ainda: “nós nos valemos do nosso orçamentista, o Dr. José Luiz Alves Jorge, muito conceituado na cidade do Rio de Janeiro, que fez o orçamento inicial de toda obra, em janeiro de 2006, devidamente contratado para este novo serviço e, depois de várias tratativas, chegou-se ao valor de R$ 5.863,74 (cinco mil oitocentos e sessenta e três reais e setenta e quatro centavos) apesar de transcorridos 6 meses da data da apresentação do orçamento pela ATERPA (R$ 5.950,00). É este valor que está sendo proposto e será cobrado pela fachada, a partir de janeiro. Quanto ao térreo e ao embasamento, apresentado com antecedência, o projeto foi discutido, analisado e aprovado pela COMISSÃO DE OBRAS, que tem autorização para isso e aqueles que desejarem ter os detalhes do que será feito e do orçamento correspondente, estaremos à disposição para dar ciência a respeito”. O engenheiro Sampaio esclareceu que haverá dois pagamentos: um relativo à fachada e outro relativo ao embasamento e térreo. O engenheiro Wilson informou que os orçamentos das fachadas, que são iguais, de ambos os empreendimentos, evoluíram para R$ 6.145,76, de janeiro até dezembro de 2006, corrigidos pelo INCC. No Villa Borghese, a soma dos dois valores é igual a R$10.161,14 e, no San Filippo, é de R$ 11.671,22, atualizados pelo índice de dezembro de 2006. Complementou: “Nós vamos entregar a obra em novembro de 2007 e, assim, estamos a onze meses do término e teremos onze parcelas para que possam pagar”. O condômino do San Michel, 502, perguntou se esses valores serão cobrados a partir de janeiro, em 11 vezes, e se à vista teria abatimento. O engenheiro Wilson respondeu que: “não tem como utilizar o dinheiro, não tenho aplicação para ele. Na verdade, não somos banco e como não estamos financiados por banco para as obras complementares, o ideal é que cheguemos ao fim com os valores recebidos. A antecipação seria para se livrar de dívida e não ter o acréscimo do INCC, uma vez que haverá correção mensal. Em março, existe uma elevação em função do salário mínimo e aí já está uma vantagem para antecipar. Mas não temos como fazer negócios com esse dinheiro e teremos que ir gastado ao longo do período. Já há pessoas que pagaram antecipadamente por terem recursos disponíveis”. A proprietária do San Filippo, 405, disse que não optou pela modificação do apartamento e perguntou se seria possível optar agora. O engenheiro Wilson disse que: “é quase impossível fazer qualquer modificação nessa fase da obra. Alguns não optaram pela cerâmica de piso e vão receber a unidade com carpete e, eventualmente, alguns optaram por deixar o contra- piso preparado para colocação de cerâmica pelo proprietário, após o “HABITE-SE”. Na fase atual da obra, não temos como fazer modificações, infelizmente”. A proprietária do San Marco, 2009, foi aconselhada a fazer uma carta pedindo que não seja colocado o carpete e deixar o contra piso pronto para colocar a cerâmica que escolher. O condômino do San Marco, 1104, perguntou se não seria possível concentrar o trabalho na obra e fazer a melhoria depois, ao que o engenheiro Wilson disse: “o que nos motivou para fazer a implementação é que não temos só a figura do construtor, temos também a figura do incorporador. Temos que vender as unidades que recebemos, como moeda de pagamento, para fazer a obra e a obrigação, perante o mercado imobiliário, de apresentar unidades condizentes e não temos como deixar para fazer isso depois, porque algumas dessas inovações que criamos vão interferir no “HABITE-SE”  e, na hora em que for pedi-lo, tenho que estar com essa parte toda pronta. Existe uma legislação específica, muito olhada na Barra da Tijuca com relação ao paisagismo e tenho que estar com tudo pronto na hora de pedir o “HABITE-SE” e só temos onze meses para fazer tudo. Nós estamos mantendo rigorosamente o prazo de entrega”. O engenheiro Wilson acrescentou que o segundo assunto da nossa pauta é justamente ratificar o prazo de entrega, que é novembro de 2007. O proprietário do San Marco, 909, perguntou o que vai acontecer com os que se financiaram com a construtora em que o último pagamento será feito em outubro de 2007. O engenheiro Wilson disse que a última prestação é em outubro e estaremos entregando a obra em novembro de 2007. Aí, ou as pessoas pagam o remanescente ou fazem o contrato com o banco. O proprietário do San Marco, 1506, perguntou se a entrega da chave é com o “HABITE-SE” e foi respondido que sim pelo engenheiro Wilson que disse ainda esperar ter o “HABITE-SE” antes de novembro de 2007. Esclareceu, ainda, que quem tem ou comprou apartamentos de antigos proprietários, quando da formação da COMISSÃO DE OBRAS, já deve ter a sua escritura definitiva registrada. O engenheiro Wilson falou que o BANCO ITAÚ fez diversas deferências especiais e acabou viabilizando o empreendimento numa situação ímpar. O BANCO ITAÚ não tem nenhuma das unidades de proprietários antigos em hipoteca até o momento. Em algumas outras, vendidas ou adquiridas pela ATERPA, há hipoteca, mas quem está desde o início do processo não tem a sua unidade hipotecada. Existe sim o penhor de créditos a favor do BANCO ITAÚ. O engenheiro Sampaio esclareceu que a hipoteca em questão a que os condôminos se referem é a hipoteca do San Filippo. Esclarecendo, disse: “anteriormente, a Clama tinha uma dívida com a GAFISA, depois transformada em CIMOB, e essa dívida tinha como garantia, a hipoteca do terreno do San Filippo. Quando fizemos o memorial de incorporação, foi feita pela Clama uma dação em pagamento de 31 unidades para a GAFISA-CIMOB. Além de receber como pagamento as 31 unidades de apartamentos a GAFISA-CIMOB não abriu mão da hipoteca do todo. Fomos então aos tribunais e a GAFISA-CIMOB já foi condenada, mas ainda faltam detalhes para dar baixa, no 9ª RGI, da hipoteca descabida das unidades, ou seja, mais claramente: a GAFISA-CIMOB ficou com as 31 unidades, com a interveniência da COMISSÃO DE OBRAS, e além de ficar dona das 31 unidades manteve a hipoteca das demais unidades do San Filippo. A COMISSÃO DE OBRAS, então, entrou na Justiça para derrubar essa hipoteca descabida e já ganhou a ação, logo, legalmente, à hipoteca já está devidamente baixada, através de ordem judicial, no nível da segunda instância. O único problema existente é o de baixar a hipoteca desde que a GAFISA-CIMOB transferiu-a para o BANCO ITAÚ na hora em que fez uma DAÇÃO EM PAGAMENTO das 31 unidades recebidas. O BANCO ITAÚ é hoje condômino do San Filippo. Diante desse fato, a transferência da hipoteca da GAFISA-CIMOB para o BANCO ITAÚ não tinha sentido, pois já que era descabida e contestada como tal. Ora, apenas como exemplo para fins de melhor compreensão, se devemos alguma coisa a alguém, esta pessoa não pode transferir a dívida para outrem sem a nossa anuência e, o que é pior, quando já havia sido paga. Esta é a realidade, a hipoteca tinha sido contestada pelo fato de a dívida já ter sido paga, com os 31 apartamentos. Quem pagou a dívida foi a CLAMA; nós, da  COMISSÃO DE OBRAS, somente garantimos que essas unidades seriam construídas e entregues. Logo, o caso já está resolvido judicialmente, já existe sentença e está sendo cumprida. O imbróglio é somente do 9º Oficio de Registro de Imóveis. Estamos lutando para resolver mais este problema. Eu peço ao engenheiro Wilson para explicar porque ele está mais por dentro do que eu”. O engenheiro Wilson disse que: ”na verdade, quando iniciamos a obra, eu falei que não havia hipoteca porque estava me referindo à hipoteca do financiamento que fizemos com o BANCO ITAÚ. Pode existir alguma unidade que tenha três ou quatro hipotecas porque cada um pode ter dado a sua unidade como hipoteca em algum evento, mas, quando assumimos, o San Filippo tinha uma hipoteca para todas as unidades, havia uma hipoteca cuja origem era a GAFISA-CIMOB e não tinha nada a ver com a ATERPA e nem com o BANCO ITAÚ. Por um acaso do destino, a GAFISA-CIMOB devia dinheiro ao BANCO ITAÚ e deu essas unidades do San Filippo, em pagamento. Então, o BANCO ITAÚ recebeu as 31 unidades que eram da GAFISA-CIMOB e recebeu os direitos creditórios das hipotecas. O BANCO ITAÚ, no San Filippo, tem duas hipotecas: uma referente ao nosso financiamento que abrange apenas algumas unidades e, outra, na totalidade das unidades, que abrange esse processo antigo da GAFISA-CIMOB. Como o engenheiro Sampaio muito bem explicou isso gerou uma ação na Justiça que já tramitou em segunda instância. Perdemos na primeira instância, mas na segunda, houve a reforma da sentença e está voltando o processo dessa vara para que seja oficiado o cartório para dar baixa nessa hipoteca, oficialmente. Ela já foi cancelada e estamos apenas procurando a melhor maneira, a mais barata, de fazer a baixa dessa hipoteca. Se for pelo mandato judicial, essa baixa custará em torno de sessenta reais e é o quanto cada um dos senhores vai ter que pagar ao 9º RGI para baixar a hipoteca. Se for através do BANCO ITAÚ, o cartório considera como registro e cobra seiscentos e cinqüenta reais. Agora, estamos confortavelmente aguardando a decisão judicial que eu acredito que não demora mais do que 15 ou 20 dias para retornar ao cartório, porque já houve uma decisão judicial. “O cartório questionou e fez perguntas e vai voltar para o cartório a ordem de baixar essa hipoteca”. VOTAÇÃO DA PAUTA – ITEM 1 – APRESENTAÇÃO DAS MODERNIZAÇÕES PROPOSTAS. O Presidente da Assembléia usou a palavra para indagar se há mais algum questionamento sobre o item 1 da pauta. Posto em deliberação da Assembléia e não havendo nenhuma manifestação contraria ao proposto, o presidente considerou aprovado, por unanimidade, o conteúdo do item 1 da pauta. VOTAÇÃO DA PAUTA – ITEM 2 – DELIBERAÇÃO DAS MODERNIZAÇÕES PROPOSTAS. Passando ao item 2, relativo às modernizações do embasamento e térreo, colocado em votação ninguém se manifestou contrariamente, logo o presidente da Assembléia declarou-o aprovado por unanimidade, também. DISCUSSÃO DA PAUTA – ITEM 3 – RATIFICAR CRONOGRAMA DE OBRAS. Passou-se ao item 3, visando ratificar o cronograma de acordo com o contrato de financiamento entre o BANCO ITAÚ e a ATERPA. O engenheiro Wilson esclareceu: “esse procedimento é mais de ordem jurídica. O novo cronograma precisa ser ratificado pela Assembléia quanto ao prazo, visto que assinamos com o BANCO ITAÚ que o nosso prazo de entrega das obras é novembro de 2007, o que já foi passado na última Assembléia e hoje temos que ficar apenas na ratificação oficial desse prazo para que todos fiquem cientes e adquira valor legal. O engenheiro Sampaio acrescentou que quem assinou com o BANCO ITAÚ foi a ATERPA e este está financiando a ATERPA. Os condôminos, que precisam, estão recebendo o financiamento da ATERPA e, na entrega das chaves, se alguém ainda tiver saldo devedor a pagar, poderá fazer este financiamento com qualquer agente financeiro. Apesar das ótimas condições propostas pelo BANCO ITAÚ, segundo o engenheiro Sampaio, o mesmo não precisa ser feito especificamente com o BANCO ITAÚ. VOTAÇÃO DA PAUTA – ITEM 3 – RATIFICAR CRONOGRAMA DE OBRAS. Não havendo mais perguntas quanto ao prazo da obra, foi colocado em votação o item 3. Não havendo manifestação em contrário, o Presidente declarou-o aprovado por unanimidade. DISCUSSÃO DA PAUTA – ITEM 4 – ASSUNTOS GERAIS. Passando ao item 4: assuntos gerais, o condômino do San Marco, 511, solicitou à Assembléia a inclusão na pauta da reivindicação dos condôminos inadimplentes para que recebam  tratamento igual ao de outros condôminos que estavam, em novembro de 2002, na mesma situação; isto é, pleiteia a mesma solução para o pagamento das cotas atrasadas sem o pagamento das multas previstas na convenção de condomínio. Naquela época, surgiram três propostas e foi dispensado o pagamento da multa por 15 dias, a partir da data da Assembléia, mantendo-se a correção dos valores. O engenheiro Wilson respondeu dizendo que os débitos de condomínio foram passados para a ATERPA, que está fazendo o seu recebimento: “Nós recebemos diversas situações que analisamos, caso a caso, e se a pessoa estava realmente disposta a pagar, nós sempre encontramos uma solução. Eu não quero abrir mão genericamente de uma situação porque vai favorecer, de certa forma, pessoas que estão brigando contra nós na justiça e, quanto a essas pessoas, eu não tenho porque fazer concessões. Agora, garanto a você que todas as pessoas que nos procuraram com uma proposta firme de pagamento dos atrasados foram atendidas e aguardo você na segunda-feira para resolvermos o seu problema especifico”. O condômino do San Filippo, 1704, falou dos valores da obra da fachada e a parte do térreo e do embasamento e queria saber o prazo de vencimento do montante e perguntou qual a data de vencimento de cada prestação. O engenheiro Wilson respondeu que, normalmente, o vencimento é no dia primeiro e que, eventualmente, analisa quando uma pessoa precisa de mais alguns dias. O primeiro boleto provavelmente será para pagar no dia 10 de janeiro. Acha o dia 5  uma data razoável: “vamos marcar para essa data a primeira cobrança e, se possível, marcamos as demais para o dia 10, isso porque eu preciso consultar os meus pares a quem tenho que prestar contas”. O engenheiro Sampaio propôs a cobrança para o dia 15, junto com o condomínio. O condômino do San Michel, 806, perguntou se será uma boleta única ou separada e o engenheiro Wilson respondeu que deve ser uma boleta única para as obras de fachada e térreo, para não misturar as coisas. O condômino do San Marco, 702, perguntou se as unidades que tiveram as adaptações aceitas seriam as últimas a serem revestidas, conforme foi informado numa visita. O engenheiro Wilson disse que primeiro está fazendo aquelas que não têm modificações e entrará uma equipe, agora que atenderá as modificações com as quais concordara: “A idéia que eu tenho é essa, mas não vai haver atraso na obra por causa disso e as unidades com modificações também serão entregues em novembro de 2007”. O condômino do San Marco, 1602, observou que as obras solicitadas ainda vão ser feitas e pediu que reavaliassem a possibilidade de serem feitas novas solicitações de modificações porque há pessoas que entraram no empreendimento após o limite para as modificações. O engenheiro Wilson respondeu: “aceitamos que algumas modificações fossem feitas e não tivemos uma avaliação precisa disso; hoje estamos atendendo e honrando os compromissos assumidos, mas isso está dando uma trabalheira, estamos correndo o risco de atrasar a obra e o fato de não fazer uma unidade já é um problema. A verdade é que não avaliamos bem isso. O que propusemos era uma coisa mais simples, mas houve modificações de abrir parede, de integrar a cozinha; não avaliamos de maneira correta, mas estamos mantendo e honrando o nosso compromisso com quem nos comprometemos. Estou responsável pela parte comercial e tenho todo interesse em vender unidades, mas se chegar uma pessoa hoje dizendo que só compra podendo fazer modificação, eu perco a venda, mas não posso fazer modificação. Isso tumultuou a obra”. APURAÇÃO DOS VOTOS. O Presidente da Assembléia recapitulou os fatos desta Assembléia e registrou que os itens 1 e 2 da pauta foram aprovados por unanimidade. A ratificação do cronograma de obra de acordo com o contrato de financiamento do BANCO ITAÚ, item 3 da pauta, foi aprovada também por unanimidade. DISCRIMINAÇÃO DOS VOTOS – ITEM 1, ITEM 2 E ITEM 3. Apurado os votos VOTARAM A FAVOR, POR ACLAMAÇÃO À UNANIMIDADE, as modernizações propostas no ITEM 1 DA PAUTA, da deliberação destas modernizações propostas no ITEM 2 DA PAUTA e de ratificar o cronograma de obras referido ITEM 3 DA PAUTA, os titulares ou procuradores de 579 (quinhentos e setenta e nove) unidades habilitadas ao voto nesta assembléia e discriminadas a seguir: SAN FILIPPO: 201, 202, 203, 204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 301, 302, 303, 304, 306, 307, 308, 309, 310, 311, 312, 501, 502, 503, 504, 507, 508, 509, 510, 511, 512, 601, 602, 603, 604, 605, 606, 607, 608, 609, 611, 612, 701, 702, 703, 704, 705, 706, 708, 710, 711, 712, 801, 802, 803, 805, 806, 807, 809, 810, 811, 812, 903, 904, 906, 1001, 1002, 1003, 1006, 1009, 1010, 1011, 1012, 1101, 1102, 1103, 1104, 1106, 1107, 1109, 1110, 1111, 1112, 1211, 1212, 1301, 1302, 1303, 1304, 1306, 1307, 1308, 1309, 1310, 1311, 1312, 1401, 1402, 1403, 1404, 1405, 1406, 1407, 1410, 1411, 1412, 1502, 1503, 1504, 1505, 1507, 1508, 1509, 1510, 1511, 1512, 1601, 1608, 1610, 1704, 1705, 1706, 1708, 1709, 1712, 1802, 1803, 1804, 1805, 1806, 1807, 1809, 1810, 1811, 1812, 1901, 1902, 1904, 1905, 1906, 1907, 1908, 1909, 1911, 2001, 2002, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2101, 2102, 2103, 2104, 2105, 2106, 2107, 2108, 2109, 2110, 2111, 2112 e 2209; SAN MARCO: 102, 103, 104, 105, 106, 107, 108, 109, 110, 111, 112, 201, 202, 203, 204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 301, 302, 303, 304, 305, 306, 307, 309, 310, 311, 312, 401, 402, 403, 404, 405, 406, 407, 408, 409, 410, 411, 412, 503, 504, 505, 506, 507, 508, 509, 512, 601, 602, 603, 604, 605, 606, 607, 608, 610, 611, 612, 701, 702, 703, 704, 705, 706, 707, 708, 709, 710, 712, 801, 802, 803, 804, 805, 806, 807, 808, 809, 810, 811, 812, 906, 909, 910, 911, 912, 1001, 1002, 1003, 1004, 1005, 1006, 1007, 1008, 1009, 1010, 1011, 1012, 1101, 1102, 1103, 1104, 1105, 1106, 1107, 1108, 1109, 1110, 1111, 1112, 1201, 1204, 1206, 1208, 1209, 1210, 1211, 1212, 1301, 1302, 1303, 1304, 1305, 1306, 1307, 1308, 1309, 1310, 1311, 1312, 1401, 1402, 1404, 1405, 1406, 1407, 1408, 1409, 1411, 1502, 1503, 1504, 1505, 1506, 1507, 1508, 1509, 1511, 1512, 1601, 1602, 1603, 1605, 1607, 1701, 1702, 1703, 1704, 1705, 1706, 1707, 1708, 1709, 1710, 1711, 1712, 1801, 1802, 1803, 1804, 1805, 1806, 1807, 1808, 1809, 1810, 1811, 1812, 1901, 1902, 1903, 1904, 1905, 1906, 1908, 1909, 1910, 1911, 1912, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2101, 2102, 2103, 2104, 2105, 2106, 2107, 2108, 2109, 2110, 2111, 2112, 2201, 2203, 2204, 2206, 2207, 2208, 2209 e 2210; SAN MICHEL: 201, 202, 203,204, 205, 206, 207, 208, 209, 210, 211, 212, 301, 302, 304, 305, 306, 307, 309, 310, 311, 312, 404, 501, 502, 503, 504, 505, 506, 508, 509, 510, 511, 512, 601, 602, 603, 604, 605, 606, 607, 609, 610, 611, 612, 701, 702, 703, 704, 705, 706, 707, 708, 710, 711, 712, 801, 802, 803, 804, 805, 806, 807, 809, 810, 811, 812, 901, 909, 910, 911, 912, 1001, 1002, 1003, 1004, 1005, 1006, 1008, 1009, 1010, 1011, 1012, 1101, 1102, 1103, 1104, 1105, 1106, 1107, 1108, 1109, 1110, 1111, 1112, 1202, 1211, 1212, 1301, 1302, 1303, 1304, 1306, 1307, 1309, 1310, 1311, 1312, 1401, 1403, 1404, 1405, 1407, 1408, 1409, 1410, 1411, 1412, 1501, 1502, 1503, 1504, 1505, 1506, 1507, 1508, 1509, 1510, 1511, 1701, 1702, 1703, 1705, 1706, 1707, 1708, 1709, 1710, 1711, 1712, 1801, 1802, 1803, 1804, 1805, 1806, 1807, 1808, 1809, 1810, 1811, 1901, 1902, 1903, 1904, 1905, 1906, 1909, 1910, 1911, 1912, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2101, 2102, 2103, 2105, 2106, 2107, 2108, 2109, 2110, 2111 e 2112. DISCUSSÃO DA PAUTA - CONTINUAÇÃO – ITEM 4 – ASSUNTOS GERAIS. Disse que os três primeiros itens foram aprovados por unanimidade e que passa para o item 4: assuntos gerais. O engenheiro Wilson aproveitou para comentar: “O BANCO ITAÚ fez uma solicitação para que acelerássemos o processo de financiamento para quem vai querer financiamento junto ao BANCO ITAÚ, e que começássemos a tratar disso. Os que estão nos empreendimentos desde o início têm uma condição especial com relação à comprovação de renda e provavelmente o banco não vai usar todos os rigores que costuma usar no critério de análise. Desde que seja dentro daqueles valores, já estão aprovados os créditos, mas pede que aceleremos o processo a partir de agora para saber quantos serão os candidatos ao financiamento. Então, ao longo do mês de janeiro, estarei passando para os senhores um formulário, que deverá ir junto com a cobrança de condomínio, e que pedirá que vocês se manifestem com relação ao financiamento do BANCO ITAÚ para que possa prever, desde já, os valores que serão necessários aportar pelo banco para fazer frente a esses financiamentos”. O proprietário do San Filippo, 801, perguntou se a ATERPA colocou a visitação unicamente para as quintas-feiras e solicita um horário alternativo para os sábados. O engenheiro Wilson disse: “temos que nos programar na obra para receber as pessoas e damos prioridade, aos sábados, para os clientes que se interessam pela compra das unidades que temos para vender, mas poderá haver disponibilidade para os outros adquirentes; isso depende da demora em atender aos clientes no sábado, mas a quinta-feira é o dia ideal. Quanto aos sábados, peço que não se aborreçam se houver demora ou outro problema. Se não estivermos atendendo a novos clientes, iremos recebê-los. Não havendo mais perguntas, o engenheiro Sampaio agradeceu a presença de todos e destacou que todos os assuntos da assembléia ordinária e da extraordinária foram aprovados por unanimidade. Ressaltou que tivemos uma Assembléia tranqüila em que todos participaram e, por isso, agradeceu a todos. Disse que marca para novembro do ano que vem uma Assembléia Festiva. O engenheiro Wilson também agradeceu a todos e o Presidente da Assembléia, como ninguém mais quis se manifestar deu por encerrada a Assembléia Geral Extraordinária. FIM.

Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 2006.

Ricardo da Silva Camillo - Presidente

Antônio Braga Coscarelli - Secretário